Concurso Urban Photographer of the Year 2010

Olá a todos!

Hoje vou falar sobre o concurso internacional Urban Photographer of the Year, da CB Richard Ellis. É um concurso que esteve aberto a todos os fotógrafos amadores e profissionais da Europa, Médio Oriente e África, sendo realizado tos os anos.

Este concurso existe desde 2006 e foi este ano que atingiu o seu número record de inscrições: mais de dez mil!

O grande vencedor foi o português Victor Manuel Lamosa de Melo, um fotógrafo amador de Lisboa, que tem a Fotografia como um grande fascínio desde criança. Como curiosidade, o facto de ter começado a tirar fotografias ainda muito novo com a velha Kodak do seu pai. O trabalho vencedor mostra um artesão tunisino na sua oficina, em pleno trabalho.

Já o segundo classificado foi Tobias Weisserth, com uma fotografia de um homem numa bicicleta, em movimento, a preto e branco.

 O terceiro classificado foi Alekandar Tomulic, com uma fotografia também a preto e branco com duas silhuetas humanas envoltas numa construção.

Espero que gostem e que participem neste concurso, porque quem sabe se não é outro português a ganhar este conceituado concurso, para o ano?

Até breve!

Anúncios
Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Uma pequena aula de História aos Finlandeses

Olá a todos!

Este post vai ser um bocadinho diferente, uma vez que sai do contexto dos assuntos anteriormente publicados.

Ontem à noite, no telejornal, vi uma reportagem que me deixou muito impressionada e satisfeita com os portugueses! É que, não sei se sabem, mas a Finlândia está com sérias dúvidas em ajudar Portugal a atravessar esta crise económica. Dizem eles que não sabem se Portugal será capaz de conseguir, mesmo com a ajuda externa, pagar as dívidas que foi acumulando ao longo dos anos. O que é de facto salientar é que sem o contributo da Finlândia, torna-se muito mais difícil para Portugal conseguir a ajuda dos Estados Membros.

Sendo assim, a Câmara Municipal de Cascais resolveu dar uma pequena aula de História, grátis, aos nossos queridos escandinavos, para que eles soubessem o que de facto era Portugal e o povo Português, e deixarem de ser tão picuinhas no que diz respeito à ajuda financeira, pois outrora, foi a Finlândia e o seu povo que solicitou ajuda, devido às dificuldades extremas que estavam a passar, durante a II Guerra Mundial.

Espero que gostem deste vídeo, que transmitam a mensagem a todos os que puderem, até que chegue aos finlandeses, pois uma aula de História como esta não se pode desperdiçar!

Até breve!

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Nova colecção da EASTPACK

Olá a todos!

Aqui vos trago uma notícia que vai interessar a todos os fãs e admiradores da EASTPACK. Para aqueles que não nutrem grande admiração, preparem-se, pois vão ficar extasiados!

Já está à venda a nova colecção das Mochilas EASTPACK! Desta vez, o autor de tal criação foi o surfista e artista João Parrinha.

Inspirando-se nas suas aventuras e locais preferidos para praticar o seu desporto de eleição, João Parrinha identificou esta colecção como “Built to Resist”, título que já o caracteriza em trabalhos anteriores.

Esta é a primeira EASTPACK ART EXPRESSION de 2011, onde, e como se pode ver, os elementos orgânicos, como as plantas e pedras, bem como outros elementos costeiros são os motivos predominantes na criação de João Parrinha.

Esta colecção encontra-se à venda e em exclusivo EASTPACK STORE, no Bairro Alto, Lisboa.

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

World Press Cartoon 2011

 

Logotipo do World Press Cartoon

Já foram enunciados os vencedores do concurso anual World Press Cartoon, que elege, a nível internacional, os melhores cartoons, em diferentes categorias.

Este ano, a selecção dos premiados, bem como a exposição dos Cartoons está no Museu de Arte Moderna em Sintra, até ao dia 30 de Junho.

os premiados nas três categorias existentes foram:

Caricatura

1º lugar: João Vaz de Carvalho – D. João I

2º lugar: Julian Assange – Buligán

3º lugar: Santiagu – Madre Teresa de Calcutá

 

Editorial

1º lugar: Rowe – Wikileaks and Uncle Sam

2º lugar: Pawel Kuczinsky – Made in China

3º lugar: Alecus – Mineros Chilenos

 

GAG:

1º lugar: Samuca – Pedofilia

2º lugar: Agim Sulag – Schengen

3º lugar: Tomás Serrano – Infância Difícil

 

No entanto, e dentro de todos estes premiados, ouve um que ganhou o Grand Prix WPC 2011, foi o artista Rowe, com a caricatura Wikileaks and Uncle Sam.

Wikileaks and Uncle Sam

Para visualizar todos os premiados e menções honrosas das várias categorias deste ano, bem como dos anos anteriores, podem visitar o site oficial do World Press Cartoon, http://www.worldpresscartoon.com/

Cartaz do Worls Press Cartoon 2011
Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Relatório do Projecto de Vídeo – Vá à Cidade!

Título do trabalho: VÁ AO CINEMA!

Elementos do grupo: Cátia Fernandes, Isa Afonso, Rafaela Ramos e Ricardo Belinha

 

No âmbito da disciplina de Oficina de Multimédia, a turma 12ºB realizou um projecto, em grupos de quatro elementos, onde o tema principal era a criação e realização de um mini filme, com a duração máxima de 10 minutos.

A primeira fase do projecto consistia na pesquisa de vários géneros de filmes, como os tradicionais Drama, Comédia, Terror, Western, passando pelos anúncios publicitários e ainda pelos vídeos caseiros. Depois do grupo ter pesquisado alguns vídeos no site Youtube, começou a formar as suas próprias ideias, apontando todas, inclusive aquelas que ao princípio pareciam descabidas e sem contexto ao trabalho pedido. Estávamos na fase do Storyboard.

Depois de algumas ideias e do desânimo começar a recair sobre o grupo, eis que há uma brilhante sugestão: porque não, e em vez de se fazer um filme tradicional, só com um género, não se fazer um mix de todos eles? – Boa ideia achámos nós! – E então porque não juntar os principais géneros num global?

Postas todas estas perguntas e respostas que foram aparecendo ao ritmo da chuva, o grupo chega à conclusão final: criar um anúncio publicitário, incentivando o receptor deste a ir mais vezes ao cinema. Para isso, iria-se mostrar pequenas cenas objectivas dos principais géneros, como se alguém estivesse a fazer zapping na televisão e, por fim, acabaria com uma frase e com o logótipo da empresa cinematográfica fictícia, inventada pelo grupo.

O nosso principal problema nesta fase é que faltava, sensivelmente, uma semana para a entrega do projecto final, e como se isso já não fosse bastante preocupante, ainda um dos elementos do grupo ficou lesionado no pé, o que fez com que algumas das cenas e géneros tivessem que ser eliminadas, pelas razões óbvias. No entanto, o grupo, sendo bastante valente e ciente das suas capacidades e ambições, não desistiu e “pôs mãos à obra”!

Para tornar as filmagens mais fáceis e de maior rapidez de execução, o grupo elaborou um guião/argumento com o que iria ser representado em cada género. Depois, realizou uma tabela, com os locais de filmagem, figurinos, adereços, alunos que iriam fazer os principais papéis, sons/músicas e ainda dias de filmagens em que cada género iria ser filmado. Tudo este trabalho prévio impediu que o grupo se esquecesse de coisas essenciais e que fosse mais prático e profissional durante todas as filmagens.

 

 

 

LOCAL DE FILMAGEM FIGURINOS ADEREÇOS ACTORES SONS/ 

MÚSICAS

DIAS DE 

FILMAGEM

GÉNEROS
Drama Praia de Espinho Roupa normal Carta Isa/ 

Rafaela

Nicholas Hooper – Drumbledore’s Foreboding 4ª feira 

tarde

Terror Auditório do Colégio Capa preta Faca 

Máscara

Ricardo 

Cátia

Marilyn Manson – Resident Evil 2ª feira 

manhã

Romance Jardim de Espinho Roupa normal Ricardo 

Isa/Cátia/

Rafaela

Matthew McGhee – My Heart 4ª feira 

tarde

Animação Monsters Inc. Jazz Soundtrack 2ª feira
Acção Parque de estaciona-mento do Colégio Roupa normal Gorro 

Pistola

Algemas

Óculos de sol

Ricardo 

Isa

James Newton Howard – Chase Across D.C. 3ª feira 

tarde

Western Descampado 

Sta. Maria de Lamas

Camisas de ganga 

Saias

Chapéus 

Botas

Revólver

Coldre

Lenços

Cátia 

Rafaela

The Good, The Bad & The Ugly 6ª feira tarde
Mudo Bloco V do Colégio Roupa normal Rafaela 

Ricardo

Charlie Chaplin 5ª feira 

tarde

Documentário Nicholas Hooper – School! 5ª feira 

tarde

Guerra Quartel de Paramos Disturbed – Indestructible

 

Depois de tudo isto, realizado na aula de sexta-feira, dia 25 de Março, o grupo planeou começar as filmagens na segunda-feira próxima.

Começamos pelo Terror. Já com tudo o que era preciso para a realização do vídeo, o grupo começou por colocar as suas máquinas amadoras nos ângulos pretendidos e deu indicações e dicas aos alunos que iriam desempenhar os papéis. Tendo sido as nossas primeiras filmagens, este foi talvez o género que mais tempo demorou a fazer, pois a experiência era pouca e havia coisas que só à segunda ou terceira tentativa é que corria como planeado. No entanto, deu-nos bastante gozo e conseguimos fazer tudo dentro do espaço de tempo mais ou menos planeado.

A história basea-se numa rapariga normal que depara-se com um corpo coberto por uma longa capa – a Morte. Estando ela aterrorizada, tenta a todo o custo, esconder-se desse vulto, mas quando menos espera, é surpreendida por ele, que lhe esfaqueia, matando-a.

Já na terça-feira, e como só tínhamos oportunidade de filmar de tarde, apenas conseguimos filmar um género, a Acção. Para estas filmagens contámos com a preciosa ajuda do Professor da disciplina, Daniel Pedrosa, que já tendo muito mais experiência que os alunos, ajudou-nos, deu-nos dicas e incentivou-nos a fazer cenas diferentes e criativas. Para além de nos termos divertido muito, as filmagens demoraram cerca de 1hora e 30 minutos, um tempo bastante bom, comparado com o utilizado no dia anterior.

As cenas mostram um episódio em que um ladrão está a tentar roubar um carro, quando é surpreendido por um polícia. Depois de uma pequena perseguição, lá o polícia acaba por agarrar e empurrar o ladrão para o chão, prendendo-o.

Na quarta-feira, o grupo decidiu que iria utilizar essa tarde livre, das 12h30m às17h, para filmar os géneros que teriam que ser gravados num espaço mais longe do Colégio, nomeadamente na cidade de Espinho. Depois do almoço, o grupo, na companhia da colega de turma Lília – que deu uma ajuda preciosa nas filmagens – partiram rumo à praia para fazer as gravações do género Drama. Este consistia na história de uma mulher, que farta e desiludida coma vida que tinha, decide deixar uma carta de despedida ao seu amor, declarando que já não conseguia continuar a viver. Enquanto a declamação da carta, vê-se a própria a aproximar-se do mar e a suicidar-se, afogando-se.

Apesar das reticências do grupo face ao estado do mar, lá acabou por correr tudo bem, tendo a aluna que desempenhou o papel estado super à vontade dentro de água, tendo aproveitado para dar uns quantos mergulhinhos. A água estava a uma temperatura bastante boa, para a época do ano!

Depois de nos termos secado e vestido, fomos filmar o género Romance para os jardins à frente da Câmara Municipal de Espinho. As gravações foram breves, pois o que era pretendido era mostrar simplesmente uma cena romântica entre dois jovens, algo simples de realizar.

Durante esta tarde, o grupo conseguiu adiantar muito o trabalho e, apesar do tempo cinzento e das dificuldades motoras de um dos elementos do grupo causadas pela lesão, a qualidade e quantidade de filmagens surpreendeu pela positiva o grupo.

Já na quinta-feira, o grupo só pôde filmar o género Mudo, uma vez que com as aulas no período da manhã e de tarde, apenas sobrava sensivelmente a hora de almoço para poder filmar. Perante este cenário, o grupo elaborou uma história simples, baseada nos famosos filmes do actor Charlie Chaplin, que desempenhava a personagem Charlot. Utilizamos assim técnicas e características básicas do género: vídeo a preto e branco, história objectiva e ainda o andar cómico e apressado do actor. A história trata uma pequena perseguição amigável de dois elementos do grupo, onde um não consegue apanhar o que se encontra na dianteira, por ter que se auxiliar nas canadianas para conseguir andar. No fim ouve-se um estrondo, como algo a partir-se; o que podemos pressupor que esse actor se tenha desequilibrado e caído pelas escadas.

Por fim, na sexta-feira, o grupo foi filmar, para um descampado perto do Colégio, o género Western. Aí, e apesar de nos filmes tradicionais os homens serem os actores principais, nas nossas filmagens, optámos por usar duas alunas; primeiro porque só havia um elemento do grupo rapaz e em segundo porque tornaria as filmagens mais interessantes e criativas. A história era assim um duelo entre duas cowgirls, que disputavam terras e cabeças de gado.

Foi muito engraçado e divertido fazer as gravações deste género, pois para além das duas alunas que interpretavam os papéis terem passado uma enorme vergonha, ao serem motivo de conversa de muitas pessoas que passavam, também a dificuldade que tínhamos ao nos concentrarmos fez com que nos apercebe-se-mos do quão difícil é para os actores, desempenharem determinados papéis.

Quanto ao género Animação, que o grupo fez questão de colocar no seu filme, por ser bastante importante e merecedor de grandes prémios como os Óscares, ficou a cargo da Cátia, que devido ao seu imenso talento no programa Inkscape, iria realizar um óptimo trabalho. A aluna Rafaela ficou responsável pelo género Documentário, também muito importante no mundo cinematográfico. Ao ter um aquário em casa, facilitou muito as gravações desta pequena cena. Por fim, o género Guerra foi gentilmente gravado pelo pai de uma aluna do grupo, que não se importou de dar as suas filmagens de exercícios do Exército, para um melhor e mais completo trabalho.

Para além de tudo isto, o grupo ainda decidiu utilizar as filmagens mais cómicas para acrescentar, no final do vídeo, juntamente com a ficha técnica, – um género de Making Of. Esta foi uma parte muito engraçada, pois as figuras cómicas que os alunos faziam ao interpretarem os papéis eram mesmo muito divertidas, o que fez com que o grupo ao editá-las não tivesse parado de rir.

 

Durante toda esta semana, em que decorriam as gravações, o grupo optou por dividir os géneros pelos elementos, tornando mais fácil toda a parte da edição.

Todos trabalharam com o programa cedido pelo Professor: o Adobe Premiere Pro CS4. Como já tínhamos experiência em trabalhar com o software, uma vez que tínhamos realizado um projecto de vídeo anterior, a edição tornou-se fácil de realizar. No entanto, e uma vez mais, o que estava a preocupar o grupo era mesmo o prazo de tempo para a entrega dos trabalhos. Sendo assim, os elementos decidiram juntar-se no Domingo, para ajustamentos finais, reparações que tinham que ser feitas, amostra das edições aos outros elementos do grupo, as gravações das vozes off presentes no género Drama e no género Documentário (ambos declamados pela Cátia) e ainda a escolha da banda sonora que iria ser inserida em cada género cinematográfico.

Já na aula de segunda-feira, dia 04 de Abril, o grupo esteve a compilar todos os ficheiros de cada género num único, acrescentando a imagem introdutória, a frase da publicidade e o logótipo da empresa cinematográfica fictícia, bem como alguns efeitos que tinham que ser colocados nos vídeos, como é o caso do Crop, na parte final do género Western. Finalmente, e ainda nessa aula, exportámos o vídeo para o formato MPEG2, 720p 25.

 

Em baixo pode-se visualizar tanto os printscreens de cada género e do vídeo, depois de compilado, bem como o exportado, servindo este como vídeo final e de avaliação. Este último encontra-se no site Youtube, mas também pode ser visualizado aqui:

Ilustração 1 – Printscreen do género Acção

Ilustração 2- Printscreen do género Documentário

 

Ilustração 3- Printscreen do género Drama

Ilustração 4- Printscreen do género Guerra

 

Ilustração 5- Printscreen do Making Of

Ilustração 6- Printscreen do género Mudo

Ilustração 7- Printscreen do género Romance

Ilustração 8- Printscreen do género Terror

Ilustração 9- Printscreen do género Western

Ilustração 10- Printscreen do Vídeo Final

 

Como conclusões finais, o grupo tem que agradecer tanto ao Professor, como aos Encarregados de Educação, como à Lília pela ajuda prestada ao grupo e à elaboração deste projecto.

Todos os elementos gostaram muito de realizar o mini filme, na companhia uns dos outros. O espírito de equipa foi enorme, as ideias propostas foram ouvidas e sabiamente discutidas, o trabalho foi realizado com afinco do início ao fim, tendo a dedicação, o gosto pelo trabalho, as ambições do grupo e claro está, a boa disposição das filmagens proporcionado, na opinião de todos, um trabalho muito bom, com alguma qualidade profissional, face aos meios disponíveis, uma ideia totalmente criativa e perfeitamente viável para o mercado de trabalho.

 

 

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Prémio Pritzker 2011

Eduardo Souto Mura, arquitecto português, ganhou o Prémio Nobel da Arquitectura, o Pritzker 2011.

– Post em produção-

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Visita de estudo à Casa das Histórias da Paula Rego

Saudações leitores!

 

No passado dia 16 de Março, Quarta-feira, as turmas de 10º, 11º e 12º do curso de Artes Visuais realizaram uma visita de estudo à Casa das Histórias da pintora portuguesa Paula Rego, em Cascais.

Mas comecemos pelo início da manhã….

Depois de toda a gente reunida, cerca de 75 alunos mais os Professores acompanhantes, os dois autocarros partiram do Colégio por volta das 8:30h com rumo à cidade dos Mouros, Lisboa.

A viagem correu muito bem e, como já era de esperar, os autocarros pareciam praticamente uma festa ambulante, uma vez que a música era algo permanente, bem como as cantorias, as brincadeiras e os lanchinhos que se iam fazendo ao longo da school trip!

Mas, e antes de chegarmos a Cascais, paramos na cidade mais romântica de Portugal… Sintra! Foi aí que descemos dos autocarros, esticamos as pernas, respiramos o ar puro da cidade, apreciamos a lindíssima vista que tínhamos sobre os parques, as florestas, as matas e como não poderia deixar de ser, sobre o centro histórico, os muitos solares lá existentes e ainda o Castelo dos Mouros, construído a pedra, sobre uma montanha com o cume em pedra… uma construção belíssima, imponente e ainda de cortar a respiração, se juntarmos o facto de que todas aquelas pedras terem sido transportadas por Homens, sem qualquer tipo de transporte inovador como temos agora… No entanto, e o mais importante foi que fizemos aquela paragem para ALMOÇAR! Sim, pois já era sensivelmente 12:30h e todos nós estávamos cheios de fome!

Sendo assim, e depois de termos ido à procura de um parque para fazermos um piquenique, lá acabamos por comer numas bancadas que havia no meio de um dos muitos parques, virados para a lindíssima vista de um ringue de patinagem!! Sem dúvida que escolhemos o melhor sítio…. Todavia, o que eu queria mesmo era explorar a cidade, pois nunca tinha lá estado. Sendo assim, comi meio a correr e, como o lendário Indiana Jones, aventurei-me por terras por mim desconhecidas, seguida dos meus fieis companheiros Gil, Ricardo e Rafael! O quarteto fantástico!

O nosso objectivo era tentar visualizar o Palácio da Pena, ex-líbris da cidade. Assim sendo, e seguindo as indicações que nos era fornecido, começamos a subir a montanha… a pé! Mas o quarteto fantástico deixou de ser tão fantástico quando, e nem a um quarto da caminhada estávamos, o Gil desistiu, alegando cansaço extremo! Sendo assim, e como bom amigo que é, o Ricardo lá desceu com o Gil até ao local de encontro de todos os alunos. Porém, ainda dois resistentes continuaram a caminhada, na ténue esperança de conseguir vislumbrar, nem que fosse só o pináculo da torre mais alta do Palácio da Pena.

Pena foi também o facto de, e passados 45 minutos de caminhada ascendente, não termos visto nada do Palácio. Eu e o Rafael estávamos num dilema: pedíamos boleia? Tentávamos mais um bocadinho? Desistíamos e voltávamos para trás?…. Consultámos o relógio; faltava meia hora para partirmos. Apesar de lá dizer o provérbio “A descer todos os santos ajudam”, acabámos por optar pela última hipótese: começar a descer a montanha. Ficamos desiludidos, mas demo-nos por satisfeitos por termos tentado o máximo que podemos e por, ainda assim termos visto belíssimos solares, a exuberante floresta e o imponente Castelo dos Mouros.

Ao descer, e aproveitando os minutos que ainda nos faltava, eu e o Rafael exploramos alguns dos muitos caminhos que o centro histórico tem, onde aproveitamos para tirar fotografias aos recônditos desta cidade.

Às 14:30h lá entramos para os autocarros rumo a Cascais.

A viagem foi rápida e tranquila. Assim que chegámos à Casa das Histórias, arquitectada pelo grande Souto Moura, saquei da minha grande arma, a máquina fotográfica, e comecei a tirar fotos de vários ângulos à parte exterior do edifício, para colocar tanto neste post, como na minha galeria de imagens para futuras referências.

O edifício é sem dúvida muito bonito. Em tons de vermelho alaranjado, este é constituído por linhas simples, rectas, sendo o que mais se destaca as duas pirâmides quadrangulares, seccionadas no topo, afim de terem uma base plana e não um vértice. O ambiente em redor também contribuí para as sensações de calma e relaxamento a que os visitantes estarão receptivos aquando de uma visita ao Museu.

Depois de uma espera a que fomos sujeitos para a preparação das visitas guiadas, onde eu aproveitei para desenhar e fotografar, lá a turma 12ºB entrou no edifício. No interior não é possível tirar fotografias. No entanto, e consultando o site http://www.casadashistoriaspaularego.com/pt/, é possível ver o edifício por fora e por dentro, bem como os esboços do arquitecto Souto Moura, a biografia da pintora Paula Rego e ainda as colecções que o Museu apresenta.

A visita guiada foi simplesmente sensacional! A forma como os responsáveis idealizaram-na fez com que fosse bastante interessante, educativa e competitiva! Competitiva? Sim! A turma foi dividida em dois grupos e aí foram seleccionados alguns alunos que desempenhavam alguns “cargos”, como porta voz, desenhador, mudo, assistente do mudo e sabichão. Depois disto, começamos a parte da visita propriamente dita. A guia mostrou-nos duas colecções, uma de quadros da própria Paula Rego e outra titulada “My choice” , com escolhas dela de vários pintores e suas obras respectivas. Vimos pinturas, gravuras e fotografias e ao mesmo tempo jogávamos e respondíamos às questões colocadas pela guia. No final, as equipas ficaram empatadas!!

Assim que acabamos a visita, muitos se dirigiram à loja de recordações para ver algo que quisessem comprar. Particularmente, havia coisa muito bonitas e úteis, como diários gráficos, lápis, lápis aguareláveis, t-shirts, canecas, sabonetes, incensos, gravuras, postais, agendas, entre outras. Mas o que era mesmo interessante eram os muitos livros que lá existiam, não só da Paula Rego e suas obras, mas também da exposição temporária “My Choice”, e de muitos outros artistas e obras históricas.

Com o dinheiro que sobrou da viagem, a professora de Desenho, em concordância com todos os participantes na visita, comprou um diário gráfico e dois livros da exposição temporária. Tanto o diário como um dos livros iriam ser sorteados pelos alunos e professores. Infelizmente para mim, não fui uma dos felizes contemplados.

Chegámos ao Colégio por volta das 22:00h. Em suma, esta visita foi muito interessante, educativa e cultural! Diverti-me muito e aumentei a minha cultura artística.

Em baixo, bem como no início deste post, encontram-se algumas fotos tiradas por mim. Espero que gostem.

 

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário